Páginas

terça-feira, 29 de julho de 2008

Dicas para resolver problemas em pinturas feitas usando tinta automotiva

As dicas abaixo foram enviadas por Fernando Saraceno no forum Small-dreams. O texto original esta citado no final.


Bolhas

Identificação
Algumas partes da pintura se enchem formando bolhas.
Causas
exposição do veículo pintado ao calor (estufa ou painel) logo após a aplicação;
tempo excessivo de exposição ao calor (estufa ou painel);
distância incorreta entre a superfície e painéis de secagem;
espessura de camada muito grossa;
em sistemas úmido/úmido, tempo de secagem insuficiente entre os produtos;
suor ou oleosidades das mãos;
existência de umidade na superfície a ser pintada;
presença de água na mangueira ou no compressor.
Solução
Decapar (raspar) as partes afetadas. Preparar a superfície e repintar corretamente.



Branqueamento

Identificação
A pintura fica esbranquiçada e sem brilho, devido à umidade absorvida e condensada na superfície pintada.
Causas
pintura de lacas em dias muito frios e muito úmidos;
uso de Thinner de evaporação muito rápida;
falta de isolamento térmico na área de pintura;
falta de aquecimento na cabine de pintura.
Solução
Adicionar em torno de 5% de retardador na tinta já diluida, aguardar a secagem completa e polir.
Nos casos mais críticos lixar a superfície e repintar somente com tinta de acabamento, sem necessidade de aplicar novamente o Primer.



Casca de laranja

Identificação
A pintura fica com aparência granulada. Semelhante a casca da laranja
Causas
temperatura ambiente muito quente;
alta viscosidade da tinta (tinta muito grossa);
tipo de pistola inadequada ;
falta de ajuste de pressão de ar;
vazão da tinta muito aberta;
velocidade de aplicação muito lenta;
pequena distância entre a pistola de pulverização e a superfície a ser pintada;
uso de catalisador e/ou thinner inadequado para a temperatura (alta) aplicação da tinta sobre superfície lixada inadequadamente.
Solução
Em casos simples, depois da tinta seca, lixar e polir. E em casos graves, lixar até obter a superfície lisa e repintar.


Cratera (Olho de Peixe)

Identificação
A ausência de tinta em pontos onde existam impurezas provoca o surgimento de crateras com aparência de olho de peixe.
Causas
limpeza inadequada da superfície a ser pintada;
presença de graxa, óleos, ceras, silicone procedentes de produtos de polimento;
uso roupas e panos de limpeza inadequado;
óleo e contaminantes na linha de ar;
área de pintura com ventilação de resíduos e poluição;
contaminação do ambiente por óleos e resíduos de escapamentos.
Solução
Aguardar a secagem completa, lixar as crateras até que elas desapareçam, preparar novamente a superfície, fazer uma boa limpeza e repintar corretamente.
No caso de grande parte da peça estar com crateras, aconselhamos decapar (raspar) toda a peça.



Diferença de Tonalidade

Identificação
Ao comparar a pintura original com a repintura que está sendo feita, pode ocorrer uma diferença de tonalidade.
Causas
maus tratos com a pintura;
irradiação de raios UV;
lavagem do veículo com shampoo ou sabão muito forte;
exposição do veículo durante muito tempo à intempérie;
NA REPINTURA:
falta de ajuste de pressão de ar;
vazão da tinta muito aberta ou muito fechada;
distância entre a pistola de pulverização e a superfície a ser pintada;
uso de catalisador e/ou thinner inadequado;
uso da tinta muito fina ou muito grossa;
número inadequado de demãos aplicadas:
mais demãos (+ escura), menos demãos (+ clara).
Solução
Caso a cor ainda precise de ajustes, o acerto de tonalidade pode ser feito com o acréscimo de pigmentos da tinta.


Escorrimento

Identificação
A tinta forma acúmulos em forma de um cordão (macarrão).
Causas
tipo de pistola inadequada;
falta de ajuste de pressão de ar;
vazão da tinta muito aberta;
velocidade de aplicação muito lenta;
pequena distância entre a pistola de pulverização e a superfície a ser pintada;
excesso de tinta com alta viscosidade (muito grossa);
excesso de tinta com baixa viscosidade (muito fina);
espessura de camada muito grossa;
temperatura ambiente muito baixa;
uso de catalisador e/ou thinner inadequado para a temperatura (baixa);
intervalo muito curto entre demãos;
má condução da pistola durante a aplicação.
Solução
Aguardar a secagem completa, lixar as partes afetadas, preparar a superfície e repintar corretamente.


Falta de aderência

Identificação
A tinta se destaca da superfície pintada, em forma de placas.
Causas
preparação defeituosa da superfície;
mesclas de produtos de marcas diferentes;
eleição incorreta do sistema de pintura;
massas e primers inadequados;
presença de graxa, óleos, ceras, silicone, restos de conservação da pintura, resíduos de lixamento;
limpeza inadequada da superfície a ser pintada;
lixamento insuficiente ou inexistente;
material de preparação ou base poliéster aplicados muito seco (empoeirado) uso de thinner/solvente não recomendados para a linha;
não cumprimento dos tempos de secagem;
em caso de Vernizes, aplicação sobre a base ressecada.
Solução
Remover as camadas soltas, lixar e repintar novamente.


Fervura

Identificação
A pintura fica com aparência áspera, rústica e porosa.
Causas
tempo excessivo de exposição da pintura ao calor;
aplicação da tinta sobre a peça aquecida;
aplicação de tinta com viscosidade alta;
temperatura ambiente muito elevada;
espessura de camada muito grossa;
excesso de catalisador em primer e acabamentos;
eleição do tipo de catalisador e thinner incorretos para a temperatura;
distância incorreta entre a superfície pintada e painéis de secagem;
exposição do veículo pintado ao calor (painel/estufa) imediatamente após a aplicação da tinta;
em sistemas úmido/úmido, tempo de secagem insuficiente entre os produtos;
Solução
Lixar ou decapar (raspar) as partes afetadas. Preparar a superfície e repintar corretamente.


Manchamento de cores metálicas

Identificação
O manchamento da pintura pode ser identificado visualmente, em função da concentração de alumínio em pequenas áreas.
Causas
tipo de pistola inadequada;
falta de ajuste de pressão de ar;
vazão da tinta muito aberta ou muito fechada;
distância entre a pistola de pulverização e a superfície a ser pintada;
uso de catalisador e/ou thinner inadequado para a temperatura;
má condução da pistola durante a aplicação;
tinta aplicada muito carregada ou muito empoeirada;
tempo de intervalo entre demãos muito curto.
Solução
Aguardar a secagem completa, lixar a superfície e repintar somente com tinta de acabamento, sem necessidade de aplicar novamente o Primer.


Marcas de lixa

Identificação
São ranhuras visíveis sobre a superfície pintada.
Causas
lixamento feito com lixa de grana muito grossa;
tempo de secagem inadequado;
número insuficiente de demãos primer, não cobrindo marcas existentes;
número insuficiente de demãos de tinta.
Solução
Aguardar a secagem completa, lixar com lixa de grana mais fina e repintar.


Pintura queimada/Calcinação

Identificação
A pintura fica fosca, sem brilho e com aparência ressecada.
Causas
maus tratos com a pintura;
irradiação de raios UV;
lavagem do veículo com shampoo ou sabão muito forte;
exposição do veículo durante muito tempo à intempérie;
Influência do clima (Dióxido de enxofre / Óxido de Nitrogênio) em combinação com a umidade
já um fator pode ser considerado como uma agressão interna, que é o uso de thinner não recomendado.
Solução
Polir ,ou nos casos mais críticos, preparar e pintar novamente.


Rachadura (Trincamento)

Identificação
A pintura apresenta riscos ou cortes profundos.
Causas
pintura realizada com materiais de baixa qualidade;
incompatibilidade de sistemas;
aplicação da tinta sobre primer inadequado;
excesso de camadas de primer ou massa;
secagem insuficiente das camadas anteriores;
repintura feita sobre base velha, já trincada;
oscilações extremas de temperaturas.
Solução
Decapar (raspar) as partes afetadas. Preparar a superfície e repintar corretamente.


Sangramento

Identificação
Difusão de um contaminante desde o fundo penetrando em todo o sistema de pintura.
Ao sangrar se produzem manchas amareladas ou avermelhadas na pintura.
Causas
excesso de catalisador à base de peróxido de benzoíla, nas mesclas de massa poliéster;
aplicação de tinta feita sobre uma pintura antiga que contém pigmentos solúveis;
pintura sobre vestígios de derivados de petróleo e contaminantes;
limpeza inadequada da superfície a ser pintada.
Solução
Lixar as áreas afetadas até tirar toda a camada contaminada. Em casos extremos, decapar as partes afetadas. Preparar a superfície e repintar corretamente.


Enrugamento

Identificação
A superfície apresenta ondulações e rugas na pintura.
Causas
incompatibilidade de sistemas;
aplicação da tinta sobre primer inadequado;
excesso de camadas de primer ou massa;
secagem insuficiente das camadas anteriores;
viscosidade da tinta muito alta;
repintura sobre esmalte sintético com secagem insuficiente.
Solução
Decapar (raspar) as partes afetadas. Preparar a superfície e repintar corretamente.

Mapeamento

Identificação
São marcas e desenhos que se forma na pintura depois da secagem superficial da tinta, onde percebemos diferenças em brilho e aspecto.
Causas
mesclas de produtos de marcas diferentes;
quantidade insuficiente de catalisador na camada de massa;
quantidade insuficiente de catalisador na camada de primer;
secagem insuficiente das camadas anteriores;
excesso de camada de primer ou massa;
trabalho feito sobre áreas que apresentam o mesmo problema na pintura antiga;
falta ou inexistência de camada de primer para isolamento de áreas masseadas;
uso de catalisador e/ou thinner inadequado;
uso de thinner de evaporação muito lenta;
pintura feita sobre materiais materiais incompatíveis.
Solução
Decapar (raspar) as partes afetadas. Preparar a superfície e repintar corretamente.


Empoeiramento (OVER-SPRAY)

Identificação
São pequenas partículas de pintura seca que ficam sobre a superfície, provocando a perda de brilho e má aparência da pintura.
Causas
tipo de pistola inadequada;
falta de ajuste de pressão de ar;
vazão da tinta muito fechada;
má condução da pistola durante a aplicação distância muito grande entre a pistola de pulverização e a superfície a ser pintada;
uso de catalisador e/ou thinner inadequado para a temperatura (alta);
tinta aplicada ou muito empoeirada;
tempo de intervalo entre demãos muito longos.
Solução
Aguardar a secagem completa, lixar e polir a superfície ou lixar e repintar somente com tinta de acabamento, sem necessidade de aplicar novamente o Primer.



Sujeiras na Pintura

Identificação
Em sua maioria são pequenas elevações irregulares na película de pintura que se produzem devido a partículas estranhas.
Causas
limpeza inadequada da superfície a ser pintada;
uso roupas e panos de limpeza inadequado;
problemas com a manutenção e filtros da cabine;
aspiração de ar contaminado.
Solução
Aguardar a secagem completa, lixar as sujeiras até que sejam niveladas, proceder o polimento.
Em cores claras dependendo da gravidade, lixar fazer uma boa limpeza e repintar corretamente.


Manchas D'água

Identificação
A pintura apresenta manchas de formas circulares e esbranquiçadas.
Causas
secagem de água sobre superfície recém pintada;
excesso de camada de materiais;
quantidade insuficiente de catalisador nas camadas de pintura;
uso de catalisador e/ou thinner inadequado;
exposição da pintura à intempérie, sem estar totalmente seco.
Solução
Polir, ou nos casos mais críticos, remover as camadas que apresentam o problema e repintar novamente.



Perda de Brilho

Identificação
A pintura fica fosca e sem Brilho.
Causas
mesclas de produtos de marcas diferentes quantidade insuficiente de catalisador nas massas e primers;
camada de massas e primers muito grossa ou muito fina;
tempo de secagem inadequado para lixamento;
lixas grossas usadas durante a preparação;
thinners e catalisadores inadequados;
thinners e catalisadores incompatíveis com o produto usado;
aplicação de tinta com a viscosidade baixa ( muito fina 0 aplicação da tinta sem respeitar o intervalo entre demãos;
falta de circulação de ar durante a secagem dos produtos;
tempo de secagem inadequado para lixamento e posterior polimento;
lixamento com lixa muito grossa para fazer polimento;
polimento com produtos abrasivos;
influência do clima (Dióxido de enxofre / Óxido de Nitrogênio) em combinação com a umidade
irradiação de raios UV;
maus tratos com a pintura;
lavagem em máquinas com cerdas grossas (Lava-Rápidos).
Solução
Em casos simples, polir.
Em outros casos, aguardar a secagem completa, lixar até obter a superfície uniforme e repintar.
Em casos graves, aconselhamos decapar (raspar) toda a peça e repintar.


Arquivo em PDF
http://rapidshare.com/files/132089670/DICAS_DE_PINTURA_AUTOMOTIVA.pdf.html



Creditos SALCOMIX
SITE http://www.salcomix.com.br/InicialLjBr.asp


[]s...


Maciel L. Zang

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Opel Blitz S 3 ton



É com muito prazer que escrevo esse post. Desde o dia em que eu comprei o Bussing que estou montando, e descobri o Krupp Titan e o Opel Blitz decidi fazer o walk-around dos três. E estava me faltando do Opel, e finalmente eu consegui.

Um pouco da história...

A decade de 20 marcou a expanção da General Motors(GM) americana. em 1929 a GM adquiriu a fabrica de motores Adam Opel Ag, que ficava em Russelsheim, na Alemanha, e com isto, uma das melhores fabricas da europa.
No inicio da década de 30 a Opel lançou um caminhão leve chamado Opel Blitz e, em 35 abriu a melhor e mais moderna fabrica de caminhões do mundo em Brandenburg. Embora leve o Blitz podia levar uma carga consideravel. Usava um motor de 6 cilindros de outra compania da GM, Buick. O Blitz evolui através da década. A capacidade de carga aumentou das 1,75t originais para 2,5 t e finalmente para 3 toneladas do modelo S que poderia transportar através do pais.

O governo alemão não confiava no gerenciamento americano da Opel, e queriam a empresa confiável e seus caminhões resistentes e de fácil manutenção. Para resolver o problema o governo alemão tomou o controle da fabrica em 1940. A GM voltaria a ter o controle somente em 1948.

Com o final da guerra, a fabrica da Opel já tinha mais de 100.000 caminhões Blitz espalhados na alemanha que ajudaram na guerra.
Além de seus devidos fins, os caminhões foram usados como onibus, caminhões rádio, ambulâncias e grandes limusines para oficiais.

O Blitz foi superior a seus concorrentes durante anos. O motor a gasolina era superior porque o combustivel era mais facilmente encontrado que o diesel, usado nos motores de seus concorrentes.

Mesmo depois do termino da guerra o Opel Blitz 3T S continuou a ser construido. A sua produção começou em 1937 como um caminhão comercial civil. E até 1944 82,356 Blitz 3T foram construidos. Possuia motor de 3.6 litros, 6 cilindros e 75 hp.

Livre tradução.
Fonte
http://www.fiddlersgreen.net/AC/aircraft/Opel-Blitztruck/OpelBlitz.php
http://www.fiddlersgreen.net/vehicles/vm/Opel-Blitz/vehicles.php


Os kits, o Opel Blitz tem pelo menos 3 kits na 1:24. Um da Revell e dois da Italeri.

Comecemos com o da Revell.

Opel Blitz S 3t - Revell 1:24
Publicada por Andy


Opel Blitz S 3t - Italeri 1:24
Publicada por Gerhard Böck


Opel Blitz Medium 3 ton. Firetruck - Italeri 1:24
Publicada por Markus.

Aqui podemos encontrar o manual de montagem do modelo da Revell (publicado por Guido)

Algumas montagens, um show a parte...

E para abrir a sessão uma montagem brasuca.

Um Opel Blitz da Revell versão militar publicado por STAUFFENBERG do forúm da WebKits.

Outra montagem da Revell publicada por Andreas Rottenanger no site Modell Versium

Esse outro eu não tenho certeza mas acho que também é Revell
Publicado por Hans-Dieter no fórum Das Wettringer-modellbauforum

Agora vamos aos modelos da Italeri.
Para começar uma excelente montagem de Michael Franz também do site Modell Versium


Um caminhão de bombeiros da Italeri feito pelo senhor Guido do fórum Das Wettringer-modellbauforum


E por último prá finalizar com chave de ouro, uma excelente montagem publicada por "didier" do fórum Scale Auto Magazine

Muito boas as montagens, parabéns a todos.

Agora vamos as fotos do bruto de verdade.

Espero que esse walk-around ajude bastante. Esse ai tá na minha lista.

[]s...

Maciel L. Zang